Livro_Pensando_a_vida

Livro_Pensando_a_vida

domingo, 5 de fevereiro de 2017

"Sempre fiz questão de pregar o Evangelho onde Cristo ainda não era conhecido, de forma que não estivesse edificando sobre um alicerce elaborado por outra pessoa." Romanos 15.20

O proselitismo não coisa nova, apenas mudam algumas de suas características de tempos em tempos. Tenho observado este fenômeno já faz um bom tempo, as grandes seitas cristãs tem uma circulação de membresia entre si, os seus fiéis vão e voltam atras de uma melhor proposta de fé, pois estas tem crenças muito parecidas. Estes dias tenho pensado sobre um fenômeno atual, começou a poucos anos, mas ganhou força mesmo de 2015 para cá. Uma grande igreja evangélica tem se expandido plantando núcleos pelo Brasil e até fora do Brasil. Há algum problema nisso? Claro que não, é uma benção que o evangelho seja pregado é que a igreja cresça mesmo, todo organismo vivo e saudável cresce. Então qual é o problema? O problema é que em alguns lugares esta grande igreja chega com a sua marca, divulga em todas as redes sociais o seu primeiro encontro, com data e locais definidos. Na primeira reunião vai um bastante gente, pois a marca da igreja é muito conhecida pelos crentes em todos os lugares do nosso Brasil. Depois dessa primeira reunião começa então as reuniões regulares, semanalmente começam a se encontrar para as celebrações. O número de pessoas aumenta a cada encontro, pois s crentes vão chamando outros crentes e assim em poucos encontros se estabelece uma congregação na cidade. Faço uma pergunta, houve algum crescimento da igreja de Cristo? Claro que não, pois os frequentadores da igreja de marca que está nascendo eram em sua grande maioria membros de outras igrejas evangélicas que migraram para esta. Em uma cidade grande pode ser que as igrejas locais não sintam tanto o impacto da chegada desta marca famosa de igreja, mas cidade de médio e pequeno porte muitas igrejas locais tem sofrido com a migração dos seus membros. Gente de louvor, líderes de grupos, professores de classes, obreiros ativos são atraídos pela marca é assim deixam suas igrejas locais. As grandes marcas de igreja, acredito que não seja intencional, acabam edificando suas novas bases "sobre fundamento alheio". Sou um missionário, estou plantando uma igreja em minha cidade, tenho outros amigos na mesma situação, sabemos o custo de trazer uma vida para Jesus, de acompanhá-la e levá-la a um compromisso com Jesus. Não temos uma grande marca a nós patrocinar, trabalhamos duro para ver Cristo sendo gerado nas vidas que Deus nos confiou. O meu desejo sempre será não pescar em aquário.
Uma lagoa, pequena ou grande pode se formar a partir de uma enchorrada, na não sobrevive aos tempos de seca. A promessa da Bíblia é transformar desertos em rios e não em lagoas. Um riacho bem pequeno pode ter mais vida do que uma grande lagoa.
Existem muitas pessoas que precisam de Deus, e são estas que eu quero alcançar para Jesu, sou contra o proselitismo gospel em qualquer uma das suas modalidades.
Um abraço, Pr. JM

Nenhum comentário: