Livro_Pensando_a_vida

Livro_Pensando_a_vida

domingo, 21 de setembro de 2014

Três atitudes para viver uma experiência de fé

Mateus 14:22-33: “Logo em seguida, Jesus insistiu com os discípulos para que entrassem no barco e fossem adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia a multidão.
Tendo despedido a multidão, subiu sozinho a um monte para orar. Ao anoitecer, ele estava ali sozinho,
mas o barco já estava a considerável distância da terra, fustigado pelas ondas, porque o vento soprava contra ele.
Alta madrugada, Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar.
Quando o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e disseram: "É um fantasma! " E gritaram de medo.
Mas Jesus imediatamente lhes disse: "Coragem! Sou eu. Não tenham medo! "
"Senhor", disse Pedro, "se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas".
"Venha", respondeu ele. Então Pedro saiu do barco, andou sobre a água e foi na direção de Jesus.
Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: "Senhor, salva-me! "
Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: "Homem de pequena fé, porque você duvidou? "
Quando entraram no barco, o vento cessou.
Então os que estavam no barco o adoraram, dizendo: "Verdadeiramente tu és o Filho de Deus".”


1. Você precisa reconhecer a voz de Jesus Vs. 27,28: “Mas Jesus imediatamente lhes disse: "Coragem! Sou eu. Não tenham medo! " "Senhor", disse Pedro, "se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas".
Pedro reconheceu a voz de Jesus no meio da tempestade, não é algo simples reconhecer uma voz no meio de tanto barulho, quer dizer, nem mesmo ouvir é fácil, imagine reconhecer. Pedro conseguiu isso naquele momento. Nós estamos vivendo em um tempo de “muitas vozes”, de muitos “barulhos”. Precisamos ouvir a voz de Jesus e mais ainda, discernir o que Ele está falando.
Estamos envolvidos em uma grande tempestade, com grandes ondas a nos devorar; estamos rodeados muitas vezes, de pessoas que deixaram o medo tomar conta de seus corações. 
Para muitas pessoas Jesus já se tornou uma lenda, uma imagem. Que Jesus seja real para você!

2. Você tem que se desprender de toda segurança que a vida lhe oferece Vs.29 "Venha", respondeu ele. Então Pedro saiu do barco, andou sobre a água e foi na direção de Jesus.

Pedro se desprendeu da segurança do barco e desceu, muitas vezes o que nos impede de viver algo novo com Deus é o nosso medo. O medo é o oposto da fé. Precisamos confiar mais em Jesus do que naquilo que tem nos proporcionado certa segurança. À medida que nos acomodamos e nos sentimos confortáveis vamos perdendo a capacidade de arriscar. Para ter uma experiência de fé precisamos deixar de lado o conforto e a segurança que o barco nos oferece. Não foram doze os que estavam no barcos? Mas somente um, Pedro, que  ousou e desfrutou de uma grande experiência. Pedro ouviu, discerniu e respondeu à doce voz do Mestre.

3. Você não pode deixar de assumir a sua fraqueza Vs.30,31 “Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: "Senhor, salva-me! "
Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: "Homem de pequena fé, porque você duvidou?
Pedro assumiu a sua fraqueza quando desfaleceu em sua fé, muitos se colocam hoje em dia como verdadeiros “super heróis” na fé. Colocam-se acima de todos dizendo-se mais firmes, mais experientes, mais tudo. Quando acontece algo de errado no percurso não assumem, simulam, tentam se livrar sozinhos. Pedro poderia ter tentado se salvar, lembre-se de que ele era um experiente pescador, mas logo que “naufragou” sem titubear ele pediu ajuda.  Em uma caminhada de fé é muito importante ter humildade, ou seja, reconhecer que nem tudo nós podemos fazer, que em muitos momentos somos fracos e não poderemos prosseguir sem a ajuda de Jesus.

Conclusão:

Mateus 14:32-33: “Quando entraram no barco, o vento cessou.
Então os que estavam no barco o adoraram, dizendo: "Verdadeiramente tu és o Filho de Deus".

No barco haviam 12 discípulos, 12 homens que o conheciam de perto, mas apenas um pode desfrutar de uma tremenda e inédita experiência ao lado do mestre, somente Pedro pode viver uma experiência fora do barco, somente ele desenvolveu uma atitude ousada, desceu do barco. Todos adoram a Jesus, mas somente Pedro O adorou com conhecimento de causa foi Pedro. Precisamos deixar o barco e viver uma experiência de fé e ter o nosso próprio testemunho. Precisamos de desenvolver uma atitude diferente dos demais, só assim adoraremos ao Senhor com conhecimento de causa...

Um abraço,JM

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Um novo olhar para Deus

  “No ano em que o rei Uzias morreu, eu vi o Senhor assentado num trono alto e exaltado, e a aba de sua veste enchia o templo.” Isaías 6:1

Precisamos de um novo olhar para Deus, quero dizer, precisamos de temor, de "medo" de Deus. Muitos de nós estamos brincando com Deus, vivemos uma vida toda bagunçada, de qualquer maneira e pensamos que estamos agradando ao Todo Poderoso com o nosso “cultinho” dominical; com as nossas “musiquetas” de adoração, que bem na verdade elas falam muito mais a nós do que a Ele.

Isaias viu o Senhor, ele não cantou um louvor, muito pelo contrário, ele disse ai de mim, que era um cântico fúnebre em sua época. Ele não celebrou, mas sentiu-se morto. A santidade de Deus é algo constrangedor, Deus disse que se alguém visse a sua face morreria, Isaias e outros experimentaram algo muito forte na presença do Todo poderoso.

O profeta Ezequiel prostrou-se diante do Senhor com o rosto em terra, Ez 1.28: “Tal como a aparência do arco-íris nas nuvens de um dia chuvoso, assim era o resplendor ao seu redor. Essa era a aparência da figura da glória do Senhor. Quando a vi, prostrei-me com o rosto em terra, e ouvi a voz de alguém falando”

Daniel quando teve uma visão do Senhor não resistiu, desfaleceu também, seu amigos que o acompanhavam não viram nada, mas ficaram cheios de pavor: Dn 10.7-9: “Somente eu, Daniel, vi a visão; os que me acompanhavam nada viram, mas apoderou-se deles tanto pavor que eles fugiram e se esconderam. Assim fiquei sozinho, olhando para aquela grande visão; fiquei sem forças, muito pálido, e quase desfaleci. Então eu o ouvi falando, e, ao ouvi-lo, caí prostrado, rosto em terra, e perdi os sentidos.”

Em apocalipse o apostolo João quando se encontra diante do Senhor sente algo semelhante Ap 1.17: “Quando o vi, caí aos seus pés como morto. Então ele colocou sua mão direita sobre mim e disse: "Não tenha medo. Eu sou o primeiro e o último”. 

Por que brincamos tanto na presença do Deus três vezes santo? Estamos banalizando a presença e a santidade do Senhor. Queremos uma experiência, mas não levamos em conta que o nosso Deus é Santo, e a Sua santidade nos constrange e consome. Deus mesmo disse a Moisés: Ninguém pode ver a minha face sem morrer. Ex 33.20: “E acrescentou: "Você não poderá ver a minha face, porque ninguém poderá ver-me e continuar vivo".
Como temos vivido na presença do Senhor?
Um abraço, JM