Livro_Pensando_a_vida

Livro_Pensando_a_vida

domingo, 4 de outubro de 2015

O pastor e o mercenário (parte 1)

João 10.11-15:"Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. Mas o que é mercenário, e não pastor, de quem não são as ovelhas, vendo vir o lobo, deixa as ovelhas e foge; e o lobo as arrebata e dispersa. Ora, o mercenário foge porque é mercenário, e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas."
Tenho pensado nos últimos dias sobre duas figuras que Jesus usou no Evangelho de João, no capitulo 10, o pastor e o mercenário. São duas figuras antagônicas entre si, mas estão evolvidas em um mesmo trabalho, a lida com as ovelhas.
A primeira diferença que temos entre o pastor e o mercenário é a motivação pela qual cuida do rebanho, um faz por vocação o outro por dinheiro. É perceptível quando alguém exerce uma função somente para conseguir ali o seu sustento, percebemos que há compromisso e fidelidade, porém tudo é feito pelo dinheiro, pelo salário e não por amor. Vocação é bem diferente, segundo Ed René Kivitz, sabemos que temos uma vocação quando se estamos dispostos até a pagar para fazer aquele trabalho, o pastor vive para seu rebanho, já o mercenário está com o rebanho enquanto isso lhe parece interessante e lucrativo.
A segunda diferença que destaco aqui é a coragem para enfrentar o desafio junto as ovelhas. O pastor dá a vida por elas, temos o exemplo do Davi, que enfrentou ursos e leões para salvar as ovelhas que cuidava em adolescência, enfrentou perigos incontáveis. Um dia olhando para si mesmo é o seu cuidado com o rebanho escreveu o Salmo 23, exaltando o cuidado do Senhor para com ele, pois se ele sendo fraco e falho era tão dedicado o Senhor certamente não seria menos que ele. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas, dá até mesmo por uma só, Jesus contou uma história de uma pastor que tinha 100 ovelhas, quando contou faltava uma, ele deixou as 99 no aprisco e foi atras daquela que faltava. O mercenário trabalha com a quantidade, ele não se arrisca, não quer perder seu lucro, quando uma ovelha se perde no caminho e o ele percebe o seu comportamento é diferente daquele bom pastor. O pensamento do mercenário está no lucro, no capital. Na cabeça dele é mais importante cuidar das 99 ovelhas que fica do que buscar a que se perdeu, pois o seu sustento não foi comprometido com a perda de uma ovelhinha, 99% do rebanho está ali ainda. Para o bom pastor ovelhas são importantes, precisam de cuidados, mas para o mercenário elas são números, cifras, estatísticas. Por isso ele não dá a vida por nenhuma ovelha, não há sentimento na relação mercenário x ovelha, a relação é apenas de lucro e ganho. O bom pastor enfrenta qualquer coisa pelas ovelhas que foram confiadas a ele, Jesus disse isso, o mercenário frente ao perigo foge, ele não está disposto a se envolver em confusões e problemas, muito menos morrer por uma ovelha.
Terceira diferença é a forma com que o pastor se relaciona com seu rebanho, ele vive ali perto de suas ovelhas, segundo João 10 ele se coloca como porta, ele sempre é achado entre suas ovelhas, no dia que Samuel foi ungir o novo rei de Israel, depois de passar os 6 irmãos mais velhos, ele perguntou se tinha mais algum, qual foi a resposta? Tem um mais moço, ele está cuidando das ovelhas. O salmo 78.70-72 diz que Deus achou a Davi no meio das ovelhas. Pastor de verdade tem cheiro de ovelha, ele está totalmente envolvido com o rebanho que o Senhor lhe deu para cuidar, Jesus disse que as ovelhas conhecem a voz do bom pastor, o relacionamento entre eles é íntimo e estreito, há compromisso e intimidade. O mercenário é o mais impessoal possível, pois ele pensa sempre no futuro, ele pensa que amanhã pode não estar mais ali, então para que se apegar? Ele faz então o básico para se manter no cargo até que surja uma oferta melhor, por isso não há envolvimento. O bom pastor vive com seu rebanho, ele não imagina não estar amanha sem as ovelhas que cuida, então se entrega completamente ao seu trabalho. O Salmos 78 diz que Davi foi fiel, íntegro e com o mesmo coração foi ser pastor (rei) de Israel. O mercenário despreza o rebanho, ele o vê como um "meio" para se chegar a determinado "objetivo", pois sempre está pensando em melhorar. As ovelhas não tem tempo de aprender a reconhecer a sua voz.
Existem outras coisas que eu poderia destacar aqui, mas vou deixar para uma próxima oportunidade, quero concluir chamando você à reflexão, quando olhamos para a igreja evangélica hoje o que vemos mais? Bons pastores ou espertos mercenários? Estamos diante de uma multidão de ovelhas sem pastor, se Deus abrisse um "concurso" para contratar bons pastores para cuidar de seu rebanho muitos "candidatos" desistiriam ao ler o "edital", pois as obrigações do cargo são pesadas, realmente para quem pensa em lucro, estabilidade, prestígio, honra e carga horária leve o cargo de pastor não lhe serve, por isso muitos preferem ficar como temporários nesta função, a qualquer preço, fazem qualquer coisa para se manterem no cargo, mas se esquecem que o Supremo pastor lhe pedirá contas do rebanho dele, leia Ez 34.1-10, veja como é complicado lidar de qualquer jeito com o que Deus tem como especial. Agora leia 1 Pe 5.4 e veja a recompensa dos pastores fiéis ao Senhor e ao Seu rebanho.
Espero que ao concluir esta leitura você possa estar colocando a sua vida diante do Senhor, assim como eu estou fazendo, quero ser um pastor e não um mercenário.
Um abraço, Pr. JM

Nenhum comentário: